Browsing Category

Distopia

Distopia, Livros

Resenha: O Círculo, Dave Eggers

Finalmente, a primeira resenha do ano. E é também o primeiro livro do ano. Péssimo, eu sei, mas é que eu viciei em duas séries (e em assistir entrevistas sobre essas séries), estou tentando assistir todos os filmes indicados ao Oscar e passei alguns dias cuidando do meu afilhado. Ufa. Mas agora foi. E foi bem: O círculo é uma distopia que eu estou ansiosa para ver nas telonas e, quanto ao livro… fazia tempo que algo me prendia dessa forma.

Encenado num futuro próximo indefinido, o engenhoso romance de Dave Eggers conta a história de Mae Holland, uma jovem profissional contratada para trabalhar na empresa de internet mais poderosa do mundo: O Círculo. Sediada num campus idílico na Califórnia, a companhia incorporou todas as empresas de tecnologia que conhecemos, conectando e-mail, mídias sociais, operações bancárias e sistemas de compras de cada usuário em um sistema operacional universal, que cria uma identidade on-line única e, por consequência, uma nova era de civilidade e transparência.
Mae mal pode acreditar na sorte de fazer parte de um lugar assim. A modernidade do Círculo aparece tanto na sua arquitetura arrojada quanto nos escritórios aprazíveis e convidativos. Os entusiasmados membros da empresa convivem no campus também nas horas vagas, seja em festas e shows que duram a noite toda ou em campeonatos esportivos e brunches glamurosos. A vida fora do trabalho, porém, vai ficando cada vez mais esquecida, à medida que o papel de Mae no Círculo torna-se mais e mais importante. O que começa como a trajetória entusiasmada da ambição e do idealismo de uma mulher logo se transforma em uma eletrizante trama de suspense que levanta questões fundamentais sobre memória, história, privacidade, democracia e os limites do conhecimento humano. Fonte: Skoob

O mundo criado por Dave Eggers é incrível por algo bem simples: é completamente real. É fácil imaginar que nosso vício por compartilhar em mídias sociais ultrapasse os limites do que é aceitável. No Círculo, o que eles buscam é a transparência total. Para isso, todos são incentivados a compartilhar o máximo de informações possível, até com pessoas fazendo transmissões ao vivo de, basicamente, todos os momentos em que estão acordados. Além do que escolhem compartilhar, alguns dos produtos monitoram 24h saúde, localização ou ranking escolar. Existe até projeto para organizar nossos sonhos, para transformá-los em algo útil e que nos ajude quando acordados.

“Segredos são mentiras”

Continue Reading

Distopia, Fantasia, Livros

Resenha: Frozen, Melissa de la Cruz e Michael Johnston

Os comentários sobre Frozen: mundo de gelo, coração de fogo me conquistaram junto com a sinopse. A capa da edição brasileira encanta e tinha certeza que seria uma ótima leitura. Fazia algum tempo que não encarava uma fantasia ou distopia e esse livro é um mix dos dois e ainda tem romance.

frozenMelissa e Michael criam um universo distópico em Frozen. A obra se passa em Nova Vegas, uma cidade outrora cheia de brilho, mas que atualmente é coberta de gelo. A protagonista, Natasha Kestal é uma jovem crupiê à procura de uma saída. Como muitos, ela ouviu falar de um lugar mítico simplesmente chamado de Azul, um paraíso onde o sol ainda brilha e as águas são turquesa — e um lugar onde Nat e seus semelhantes não serão perseguidos, mesmo que seu segredo mais obscuro venha à tona. Mas o caminho para o Azul é traiçoeiro, senão impossível de atravessar, e sua única chance é apostar em um grupo de mercenários liderados pelo arrogante Ryan Wesson para conduzi-la a seu destino. Ciladas e perigos os aguardam em cada esquina, à medida que Nat e Wes se veem atraídos um pelo outro.

Fonte: Skoob

Nat trabalha em um cassino em Nova Vegas, mas para chegar até ali, passou por uma modificação de retina para que não fosse descoberta – ela tem olhos azuis, mas essa cor indica pessoas com “poderes” – mas tudo o que quer é fugir dessa cidade e ir para o Azul. Nova Vegas é Las Vegas pós uma onda de gelo. O glamour que conhecemos hoje não existe, exceto pelos cassinos, que nunca param de funcionar. Já Azul é o que podemos chamar de mais próximo do nosso mundo. Pelo menos lá as coisas não estão congeladas.

Continue Reading

Distopia, Filmes, Livros

Relembrando: Trilogia Divergente – Convergente, Veronica Roth

allegiant-banner

Finalmente chegou a estréia de um dos filmes mais aguardados, pelo menos para mim, o desfecho da trilogia publicada por Veronica Roth que acompanha uma sociedade distópica futurista em Chicago. Convergente chega aos cinemas do Brasil e, para refrescar a memória sobre a história, separamos alguns posts passados. Confira nossas resenhas dos 3 livros e os comentários dos dois filmes para não perder nenhum detalhe na telona!

Distopia, Infanto Juvenil, Livros

Resenha: Convergente, Veronica Roth

ConvergenteVamos comentar o desfecho de Divergente? Convergente é o terceiro livro da história e, apesar de não ter me agradado tanto quanto os outros dois, nos tira dúvidas e nos dá explicações para a história. É o que finaliza e dá consistência para a trama. Definitivamente um fim digno para a trilogia! Contém comentários dos livros anteriores!

A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. Em Convergente, o poderoso desfecho da trilogia de Veronica Roth iniciada com Divergente e Insurgente, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor. O livro, que chega ao Brasil no momento em que Divergente estreia nos cinemas, alcançou o primeiro lugar na lista de bestsellers do The New York Times.

Convergente retoma a história de onde Insurgente parou. O vídeo de Edith Prior foi assistido e todos agora sabem que existe algo do outro lado da cerca. Também começam a compreender o que são os Divergentes. Tris, Tobias e alguns outros têm uma nova missão: ir ao outro lado descobrir mais sobre a verdadeira história de onde moram. Enquanto isso, dentro da cidade, Evelyn continua o sistema de governo ditatorial que criou com os sem-facção.

Pela primeira vez o livro não é narrado apenas por Tris. Tobias divide a narração do livro e isso aumenta o seu papel na história e, apesar de eu não gostar muito da variação e achar que ela é uma dica para o que acontece no fim do livro, é uma mudança que enriquece a história pelo aumento dos detalhes. Ao encontrarem o lado de fora, várias surpresas começam a aparecer. Veronica Roth explicou toda a sua ideia e todo o mundo distópico de Divergente nesse livro e é isso que me faz gostar mais dele do que dos outros mesmo que a história não tenha me prendido como a dos primeiros livros.

Continue Reading

Distopia, Livros, Young Adult

Resenha: Divergente, Veronica Roth

divergenteDivergente já estava na minha lista para ler faz um tempo, ainda mais depois que foi chamado de o próximo Hunger Games. Tenho um fraco por distopias e coisas futuristas, então não vi motivos para não ler além de respeitar a ordem da minha lista. Então, um pouco antes de sair o primeiro filme, decidi que era hora de mergulhar no mundo de Veronica Roth.

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Continue Reading